Tratar Depressão e ansiedade sem medicamentos

Tratar Depressão e ansiedade sem medicamentos

Ansiedade e depressão são doenças distintas, mas que podem existir em conjunto

São cada vez mais prevalentes. Falando da depressão, existem vários tipos, como a depressão major, a distimia entre outras. Ou seja, além das várias doenças psicológicas existentes, há muitas variações das mesmas, o que torna o diagnóstico e prognóstico imprescindível para a recuperação do indivíduo.

A depressão é hoje uma das doenças mais incapacitantes no mundo há cerca de
300 milhões de pessoas a sofrerem de depressão.

Devido aos altos números estatísticos, a depressão é considerada uma das doenças psicológicas mais comuns e geralmente afeta mais as mulheres do que os homens. Frequentemente é caracterizada por:

  • perda de interesse ou prazer na vida e nas
    atividades do dia a dia;
  • tristeza generalizada;
  • sentimentos de culpa;
  • baixa autoestima;
  • distúrbios do sono;
  • mudança nos padrões alimentares;
  • cansaço constante e exaustão sem causa
    aparente;
  • falta de concentração.

A depressão provoca uma alteração no neurotransmissor serotonina. Porém, as causas da depressão podem ter fatores bem variados, como a genética, eventos traumáticos da vida, viver num ambiente social nocivo, uso de remédios ou abuso de substâncias etc. Esta é uma doença psicológica que pode ser contínua ou
recorrente e interfere gravemente na capacidade funcional de uma pessoa,
prejudicando o trabalho e os estudos, além de impactar negativamente os
relacionamentos. Aumenta substancialmente o absentismo.

No estado mais grave, a depressão pode levar a pensamentos e ações suicidas. Para efetivamente tratar a depressão pode ser necessário a terapia cognitivo-comportamental, a psicoterapia e a medicação antidepressiva.

A ansiedade

Possivelmente já sentiu estes sintomas nalgum momento da vida: O coração bate mais forte, a respiração acelera e surgem os sentimentos de apreensão e medo. É normal e até necessário sentir algum grau de ansiedade. Ela tem um propósito de existir dentro de nós.


Porém, é preciso ficar atento quando passa dos limites e torna-se numa doença. Somos invadidos hoje pela baixa autoestima, pela incerteza da saúde dos nossos
familiares e amigos, pelos medos de perder o emprego e a relação com a empresa.
E estas preocupações provocam respostas neurológicas e físicas.
Tudo isso
acontece dentro do sistema nervoso central, que regula a frequência cardíaca, a
respiração, a micção e até a função sexual. 

A função do sistema nervoso central é permitir que possamos reagir quando estamos sob ameaça e produz a resposta delutar ou fugi r, projetada para nos defender dos perigos. Quando ele entra em ação, podemos sentir manifestações tão diversas como dor de cabeça, náuseas, falta de ar, tremores e mal-estar. É possível conviver com sintomas leves de ansiedade, mas quando ela é forte o suficiente para interferir na nossa vida diariamente, o tratamento geralmente é a única maneira de controlá-la. Os principais sinais de que isso está a acontecer aparecem quando a pessoa começa a fugir das atividades da rotina porque está com um medo exagerado ou fica tão preocupada com algo que isso a paralisa. 

Na ansiedade enquanto doença, a pessoa vai sentir que os sintomas não vão passar com um “copo de água com açúcar”. As opções de tratamento, feito o diagnóstico com um médico, incluem medicamentos, psicoterapia, mudanças de estilo de vida e a combinação de todos esses elementos. O acompanhamento profissional é essencial para dominar a ansiedade e as condições que podem acompanhá-la, como a dependência de álcool ou drogas e a depressão. É importante reforçar que frequentemente pessoas com transtorno de ansiedade apresentam sintomas depressivos e vice-versa.

Nalgum momento, quase toda a gente passa por eventos stressantes na vida. Embora nem todos que enfrentam essas  tensões desenvolvam um transtorno de humor – na realidade, a maioria não desenvolve –, o stress desempenha um papel decisivo na depressão. É preciso saber diferenciar uma condição e sinais passageiros dos indícios da depressão em si. 

A doença é marcada por extrema tristeza, auto desvalorização, falta de esperança e pensamentos suicidas. A ciência vem rastreando a origem das emoções até ao cérebro para entender a depressão e já se sabe que certas áreas participam da regulação do humor. Os pesquisadores acreditam que, mais importante do que os níveis de substâncias químicas cerebrais alteradas, são mudanças nas conexões das células nervosas, o seu crescimento e funcionamento éque exercem maior impacto na doença.

É necessário e urgente valorizarmos a saúde mental. 

Hoje podemos tratar recorrendo minimamente á farmacologia ou até mesmo sem a intervenção da mesma.

Através do trabalho mental e do conhecimento que determinadas técnicas exercem sobre o comportamento e como é possível alterá-lo.

Vejamos como o meu processo te vai ajudar

A Psicologia das Necessidades humanas permite a mudança num instante.

É possível quebrar desempoderar padrões e comportamentos e substituí-los por aqueles que permitem um alinhamento com as movimentações que fazem alguém sentir-se da maneira que quer, e então canalizá-los para que naturalmente as pessoas se movem na direção que mais desejam, uma direção que serve não só a si, mas a todos aqueles que têm o privilégio de tocar.

A psicologia para criar Mudança Duradoura

Especificamente, existem três áreas que vamos aprender a dominar:

1. Dominar os nossos padrões de perceção e estados emocionais: a nossa Tríade (fisiologia, foco, linguagem/significado)

a. A capacidade, conhecimento e experiência de ser capaz de mudar o estado
emocional 
instantaneamente de indesejável a desejado (ou necessário).

b. A capacidade de mudar consistentemente o estado emocional de indesejado para desejado ou necessidade, mesmo num contexto/situação particularmente difícil.

c. A capacidade de criar um estado desejado e de nele viver de forma consistente em contextos/situações; independentemente de serem um desafio ou não.

2. Dominar a Psicologia do que cria uma mudança duradoura

a. Entender a Psicologia das Necessidades Humanas: as principais necessidades que todos os seres humanos compartilham em comum e como essas necessidades impactam cada pensamento, emoção, comportamento e ação nas nossas vidas.

b. Identificares o teu modelo do mundo: onde estás nos três níveis de domínio e como consistentemente crias significado na tua vida.

3. Dominar os instrumentos primários de intervenção

a. Os Sete Passos Mestres para a Mudança Duradouraa sequência específica para criar a mudança que dura.

b. As ferramentas de Condicionamento Neuro-Associativo para utilizar dentro dos sete passos principais.

c. A influência e o impacto do contexto social e do ambiente externo e o modo de utilização para criar mudanças ecológicas e reforçadas.

Os Sete Princípios Mestres da Vida

1.    A qualidade da nossa vida encontra-se no significado.

 A vida não são os desafios que enfrentas, mas o significado que dás a esses desafios. O teu copo de satisfação está meio vazio ou meio cheio?

     
2.   
As emoções são o combustível da vida.

Quantas emoções sentes no dia-a-dia? Quantas dessas Emoções te servem? Quantas te sabotam? A qualidade das tuas experiências depende da qualidade das tuas emoções.

3.   A vida é uma mudança constante.

A única coisa que podes ter certeza é da mudança.
Todos os seres humanos lutam com a ilusão de que as coisas são sempre as
mesmas, porque temos uma necessidade de certeza. O Nosso sistema nervoso
engana-nos ao acreditar que o quarto ainda está ali fixo quando todos sabemos
que a terra está em constante movimento.

 4.   A vida é uma experiência de estações.

Todos os aspetos da tua vida passam por estações. Na primavera, as coisas nascem e começam a crescer. No verão, as coisas continuam a crescer e a amadurecer. No outono, tudo atinge o seu pico e começa a cair. Finalmente, no inverno, as coisas estagnam e passam. Mas, a sua passagem torna possível a próxima primavera. Ao contrário do mundo, as tuas estações podem ocorrer ao longo de meses, semanas, dias ou mesmo horas. Só sei que tu precisas passar por todas as estações para realmente cresceres. Então, vamos antecipar as estações flutuantes e abraçar e aprender com as mudanças que elas trazem. 

 5.  A vida é um paradoxo.

O que é certo é errado e o que é errado é certo dependendo do…

a. Contexto

b. Período de tempo

c. Cultura

d. Perceção

 6.    Amor, felicidade e alegria estão disponíveis neste momento...

E estão sempre disponíveis. O grau de amor, alegria e felicidade que tu experimentas neste momento é um resultado direto do que tu percebes, aprecias e acreditas… neste momento.

 7.   A vida é um crescimento constante.

Se algo não cresce, morre. Todo ser humano precisa sentir que está a fazer progresso constante.

Scroll to Top